Brasil tem mais de 30 homicídios por 100 mil habitantes, segundo Atlas da Violência

De acordo com o Atlas da Violência 2018, divulgado hoje pelo Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea) e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, o Brasil atingiu o número de 62.517 homicídios em 2016. Esse total representa um recorde histórico e que equivale à taxa de 30,3 mortes por 100 mil habitantes. No comparativo anual, de 2015 para 2016, só na região Centro-Oeste a taxa de homicídios se manteve no mesmo patamar. No restante das regiões, foi registrado um aumento no número de mortes, com valores mais significativos no Norte e no Nordeste.

Outro dado do relatório mostra que as vítimas de homicídio são, na maioria dos casos, homens jovens. Em 2016, cerca de 56% do total de homicídios no país tiveram com alvo homens de 15 a 19 anos. No geral, houve aumento na quantidade de jovens assassinados, em 2016, em vinte estados, com destaque para Acre, com alta de 84,8% e Amapá, com 41,2%.

Rio de Janeiro

A taxa de homicídios no Rio de Janeiro aumentou 18,8% em 2016, em comparação com o ano anterior. Já no comparativo de 2011 a 2016, a alta registrada foi de 22,6%. E por mais que relatório não contemple os dados da atual crise de segurança no estado, o Rio já ficava bem à frente de São Paulo, Espírito Santo e Minas Gerais no número de mortes em 2016. Além disso, São Paulo e no Espírito Santo chegaram a registrar até uma queda nos homicídios no comparativo anual.

Vidas negras

O relatório ainda revela as consequências do racismo. Em 2016, por exemplo, a taxa de homicídios de negros foi duas vezes e meia superior à de não negros (16,0% contra 40,2%). Em um período de uma década, entre 2006 e 2016, a taxa de homicídios de negros cresceu 23,1%. No mesmo período, a taxa entre os não negros teve uma redução de 6,8%.

Em um período de uma década, entre 2006 e 2016, a taxa de homicídios de negros cresceu 23,1%

Mulheres

O Atlas da Violência destaca, em meio a uma homenagem à Marielle Franco, que em 2016, 4.645 mulheres foram assassinadas no país, o que representa uma taxa de 4,5 homicídios para cada 100 mil brasileiras. O aumento nos últimos 10 anos foi de 6,4%. Além disso, associando o racismo ao feminicídio, percebe-se que a taxa de homicídios de mulheres negras foi 71% superior à de mulheres não negras.

Por Jornal do Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *