COLETIVO MANAS REALIZA SESSÃO GRATUITA DE CINEMA NA ENGENHOCA.

Após percorrer escolas da rede pública de ensino no município de Niterói
com o projeto *Circuito de Cineclube Cine&Manas*, o Coletivo Manas irá
realizar nesta sexta-feira, 24 de maio, uma sessão aberta à comunidade na
Plataforma Urbana Digital da Engenhoca, quando será exibido o filme “Meu
nome é Jacque”, de Angela Zoé.

Trazendo propostas e projetos culturais que debatem as possibilidades do
que é ser feminino, o *Coletivo Manas* surgiu do desejo de contar,
partilhar e compartilhar histórias sobre mulheres. Idealizado pelas
produtoras culturais Carolina Rodriguez e Helena Claro, em 2019, com apoio da Prefeitura do Município de Niterói (PMN), por meio da Secretaria
Municipal das Culturas (SMC) e da Fundação de Arte de Niterói (FAN), o
projeto *Circuito de Cineclubes Cine&Manas* leva sessões seguidas de debate à escolas e instituições da rede pública de ensino da região e trará como principal temática o protagonismo feminino e suas representações no audiovisual nacional.


 Sempre privilegiando produtoras, diretoras e personagens mulheres *cis *e
*trans*, as sessões do cineclube itinerante vêm com a intenção de provocar
nos espectadores momentos de escuta, troca de saberes e experiências,
permitindo que cada vez mais pessoas sejam tocadas com informações e ideais democráticos. Trazendo questões sobre identidade, igualdade de gênero, corpo e sustentabilidade feminina, as conversas são conduzidas por membros do coletivo e contam com a participação de diretoras, integrantes da produção do filme e pesquisadoras/agentes ligadas a temática tratada.

“O Coletivo surgiu pela vontade de realizar os nossos próprios projetos, de
contar e viver a nossa própria história. Começamos fazendo tudo de maneira independente e então foram surgindo oportunidades, como o patrocínio da Prefeitura de Niterói através do edital Fomento ao Audiovisual para realizarmos o circuito em escolas no município de Niterói”, conta Carolina.
“A beleza de circular com o Cine&Manas pelas escolas é a oportunidade de
trocar com jovens sobre questões tão importantes no mundo em que vivemos hoje, ajudando a construir um ambiente mais saudável e igual para meninas e meninos. Contribuir para o crescimento do movimento audiovisual da cidade, para quem como eu que nasceu e cresceu em Niterói, mas na maioria das vezes teve que sair da cidade para trabalhar, é uma conquista pessoal também”, pontua a produtora.

Com uma curadoria de temas atuais, ao longo dos últimos anos já passaram
pela programação do cineclube os filmes: *Meu nome é Jacque*, de Ângela Zoé*, Tia Ciata*, de Raquel Beatriz e Mariana Campos, *Meu corpo é político*, de Alice Riff, *As minas do rap*, de Juliana Vicente, *Cabelo Bom*, de Swahili Vidal e Claudia Alves, *Gorda*, de Luiza Junqueira e *Sou Feia Mas Tô na Moda*, de Denise Garcia.

*Trajetória*
Criado em 2017 com o intuito de realizar projetos que explorem a
feminilidade contemporânea, o *Coletivo Manas* vem ganhando cada vez mais espaço e ampliando discursos sobre o universo feminino. Ainda neste ano ganha seu primeiro edital para compor a programação do Festival Territórios da Arte – Interculturalidades 2017, realizado pelo Centro de Artes da Universidade Federal Fluminense. Em setembro, lançou a campanha “Abrace uma Mana”, que recolheu doações de objetos pessoais, itens de beleza e higiene para mulheres em situação de rua.

Em 2018, volta a construir e desconstruir narrativas sobre feminilidade com o projeto de ocupação cineclubista *Cine&Manas* e o *Brexx*, brechó que organiza a compra e venda de peças usadas com acervo do P ao XG. Participa ainda de eventos na Casa Bosque, Primavera Literária do Rio e Festival Mulheres do Mundo WOW.

Contemplado pelo Edital de Fomento ao Audiovisual da Secretaria das
Culturas de Niterói e Fundação de Arte de Niterói com o projeto *Circuito
de Cineclubes Cine&Manas*, em 2019 realizará sessões em escolas públicas no município.

*Coletivo Manas*

Idealizado pelas produtoras culturais Carolina Rodriguez e Helena Claro, o
*Manas* é formado por mulheres que atuam em diferentes áreas, mas que têm em comum o desejo de intervir em seus meios sociais construindo relações de trabalho que experimentem a transversalidade das pautas do feminismo contemporâneo. Realiza o *Brexx*, brechó que organiza a compra e venda de peças usadas, relacionando consumo sustentável com questões de padrões estéticos, através da curadoria de peças de todos os tamanhos e estilos, abrindo espaço para afirmação de diferentes identidades.

Acredita e volta sua atuação para o fortalecimento de relações
interpessoais com um trabalho de base para a consolidação de agentes
político-sociais. Fisicamente está presente nas cidades de Rio das Ostras,
Niterói e Rio de Janeiro, cidades com características distintas, mas que
guardam questões parecidas quanto a vulnerabilidade da mulher. O coletivo busca discutir as estruturas e construções sociais que contribuem para a manutenção de uma sociedade padronizada, que rejeita o diferente, que é intolerante com o que não é igual, pautando questões de sustentabilidade feminina, preservação, saúde física e emocional. O coletivo pretende fortalecer o debate sobre igualdade e identidade de gênero, padrões exclusivos, gordofobia e estendê-los para o campo físico com ações de base.

Serviço:

CIRCUITO DE CINECLUBES CINE&MANAS 2019

Sessão aberta:

24 de maio, às 18h

Exibição do filme “Meu nome é Jacque”, de Angela Zoé.

Local: Plataforma Urbana Digital da Engenhoca – R. Ver. José Vicente
Sobrinho – Engenhoca, Niterói – RJ

Facebook: manascoletivo <https://www.facebook.com/manascoletivo/%20>

*Instagram:* coletivomanass <https://www.instagram.com/coletivomanass/> /
brexxbrexx <https://www.instagram.com/brexxbrexx/>

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *