Informações de que ‘Pivete’ estaria baleado e internado em ‘hospital do tráfico’ em SG, deixa polícia em alerta

Ele é um ‘velho’ conhecido da polícia. E agora mais ainda, principalmente por causa do perfil ‘festeiro’, mesmo em tempos de pandemia. Com oito mandados de prisão pendentes, sob acusações tráfico, homicídios e roubos, o Leilson Ferreira Fernandes, o Pivete, de 34 anos, apontado como líder das quadrilhas que atuam na Rua da Feira, no Pita, e nas comunidades do Pereirinha e da Coréia, no Barro Vermelho, em São Gonçalo, se tornou um dos mais procurados traficantes do Estado. Os Setores de Inteligência da polícia monitoram informações de que Leilson estaria baleado e se recuperando em um esconderijo na cidade. 

E foi exatamente em uma das festas que o traficante costuma comandar em SG é que ele teria sido ferido, durante a Semana Santa, no início de abril, quando Pivete, contrariando as próprias determinações do alto escalão de sua facção, quebrou a quarentena e fez um grande evento na Rua da Feira, para celebrar a Páscoa, com muitas crianças na comunidade.  Na ocasião, baseados em denúncias chegadas à polícia, policiais do 7ºBPM (São Gonçalo) foram ao local e acabaram com festa. Pivete e um de seus seguranças teriam sido baleados. 

Segundo informações de setores de inteligência, Leilson e seu segurança foram ajudados por outros criminosos e acabaram se refugiando na comunidade da Coréia. Um enfermeiro e um médico teriam sido contratados, de forma particular para irem ao local e prestarem os primeiros socorros aos baleados, que teriam permanecido no local, sob escolta de 20 criminosos fortemente armados, até deixarem o local.   

Informações diferentes chegaram à polícia sobre os supostos procedimento adotados pelo traficante no episódio. Algumas denúncias informam que ele estariam internado em um hospital particular na região Metropolitana da cidade com o nome e documentos de identificação falsos. Outra, dá conta de que Leilson estaria sob a tutela de Antônio Ilário Ferreira,o Rabicó, em um uma improvisado ‘hospital do tráfico’ no Complexo do Salgueiro, sob acompanhamento dois enfermeiros, junto com seu segurança. 

Bailes – ‘Pivete’, ao longo de 2020, tem estimulado aglomerações na Rua da Feira, através do evento conhecido popularmente nas comunidades como o ‘Baile da China’,  no melhor estilo ‘pagofunk’. Um dos mais grandiosos aconteceu no dia 19 de julho, quando ele, junto com os integrantes de sua quadrilha, celebraram um ano de retomada das comunidades perdidas em 2019 para o Terceiro Comando TCP, quando Thomas Jayson Vieira gomes, o 3N, mudou de facção, deixando o comando o tráfico no Complexo  do Salgueiro, e passou a tentar a conquista de territórios no município. Thomas acabou morto, em outubro do  ano retrasado, junto com cinco colaboradores, durante operação conjunta das Policiais Civil e Militar no sítio onde ele se escondia, em Cabuçu, Itaboraí, se conseguir consolidar o plano de expansão.

Na referida festa, houve uma grande queima de fogos, para alegria de cerca de 300 pessoas que se aglomeravam no local, sem máscaras, sem se importar com a pandemia do novo coronavírus. Existem inquéritos contra Pivete em tramitação na na Divisão de Homicídios de Niterói, Itaboraí e São Gonçalo (DHNISG) e em delegacias de São Gonçalo. Leilson é neto do Ilson Fernandes, o Passarinho, que segundo investigações da polícia, integrou a primeira geração de pessoas da família ligadas ao controle do tráfico na Rua da Feira e também na comunidade da Coréia, no Pita. 

Editado por ZN Noticias / Fonte: Jornal O São Gonçalo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *